Arquivo de fevereiro \12\UTC 2012

Ausência


No vazio me escondo, em busca de meu todo,
recorro a ti, a ausência me toma,
ao invés do julgo, corro, morro,
a cada segundo, vem à tona.

Que sei, és feliz, me conta
nada mais importa, luto à vê-la
sinto-me ao além, também,
ao avistar seu sorriso branco, júbilo me encontra
ausência, demência, sua vida é o que conta

As pupilas dilatam, a tristeza refrata,
o que era forte, me consumia
é mancha irrelevante, fraca
com o brilho de sua presença, torna-se alegria.

Repetir o verso, não me importo, te amar é minha maior alegria.

Deixe um comentário