Arquivo de janeiro \30\UTC 2012

Ao amanhecer


Ao amanhecer, pós-breu, vejo a ti, a teus olhos derramo a esperança do futuro, o colírio do amanhã, vendo o horizonte amplo que o chão presente traz. À luz, ao raio, o fino raio, reluz a pele-fina e lisa, que me acalma feito o branco. Ao amanhecer, o orvalho, sinto o alivio de seu perfume, e o poder de seu exalo; minha segurança, na graça de sua presença, se firma, e me satisfaz. Assim como a certeza de que amanhecerá o sol ao novo dia, a de meu amor renovado, a cada banho de luz, fortificará.

Anúncios

Deixe um comentário